Estudos em Éfeso

O Cristo glorificado escreve a sua igreja em Éfeso.
Alexandrino Moura
Imprimir

Enviar para um Amigo

Apocalipse - 1 - 9 : 20
O livro do Apocalipse é belíssimo. É uma obra de arte: arte maravilhosa, arte divina. Este livro são as revelações do Senhor Jesus Cristo, escritas pelo seu servo João, para entregar a todas as igrejas na Ásia. Como ele mesmo diz a João no capítulo 1.11: “O que vês escreve em livro e manda às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia”. O apóstolo João que se achava exilado na ilha de Patmos por causa do nome do testemunho do Senhor Jesus, recebeu a tarefa de escrever as revelações que ia ver e depois mandar para as igrejas na Ásia. Eles deveriam saber sobre as últimas coisas que estavam para acontecer. Porque o Cristo Glorificado já está pronto para sua volta. Ele está esperando apenas se completar o número dos seus eleitos para voltar e julgar a todos. Ele é aquele que tem os olhos flamejantes e que perscruta até o mais profundo dos corações. Tem uma espada que sai da sua boca para pelejar contra os adversários (Ap 2.16).
São estas sete igrejas na Ásia que Jesus se dirigi com amor. A primeira igreja que recebe a carta é a igreja de Éfeso. Como era a cidade de Éfeso? A cidade de Éfeso era uma cidade muito importante. Era rica e próspera, magnificente e formosa, devido a seu templo da deusa Diana. Ela tinha capacidade para aportar os maiores navios. Além disto, era facilmente acessível por terra, pois Éfeso estava ligada, por meio de estradas, com as cidades mais importantes da Ásia Menor. Era já por longo tempo o centro comercial da Ásia. O templo pagão da deusa Diana era ao mesmo tempo casa do tesouro, museu, bem como lugar de refúgio para criminosos. Fornecia empregos a muitos, incluindo os ourives que miniaturavam santuários de Diana. Foi nesta cidade que o apóstolo Paulo fundou a igreja de Éfeso. Ele passou três anos ali pregando as boas novas do Senhor Jesus. Éfeso era uma cidade idolatra. Lá as pessoas encontravam vários tipos de deuses também. O culto pagão era livres. O culto ao imperador era obrigatório. Quando muitos se converteram, muitos ourives perderam seus empregos. Porque os novos convertidos deixaram de cultuar aos ídolos e ao imperador. Bem como também queimaram seus livros de magias.
Já se passaram mais de 40 anos depois da fundação da igreja em Éfeso. Eles receberam a palavra do Senhor com muito entusiasmos. Aprenderam a viver para o Senhor. Depois de 40 anos, o próprio Senhor Jesus Cristo está escrevendo para aqueles irmãos. É o Cristo Glorificado e Senhor da Igreja que está escrevendo e enviando sua mensagem.
Eu vos proclamo a palavra de Deus no seguinte tema:

1. Elogiando a igreja (Vs. 1-3).

Esta carta é direcionada a igreja em Éfeso, como diz os versos 1 e 2: “Ao anjo da igreja em Éfeso escreve: Estas coisas diz aquele que conserva na mão direita as sete estrelas e que anda no meio dos sete candeeiros de ouro”. Qual a razão para esta apresentação? Esta apresentação é necessária para mostrar que Jesus é aquele que conserva os ministros da palavra e anda no meio da sua igreja. As estrelas são os pastores da igreja, que também aqui é chamado de anjo da igreja em Éfeso. Os pastores são os embaixadores de Jesus Cristo aqui na terra. Os falsos apóstolos tinham atribulado a igreja em Éfeso. Assim como o apóstolo Paulo tinha dito, que após sua partida falsos mestres iriam entrar no meio deles e tentar desviá-los do caminho do Senhor. Por isso o apóstolo tinha exortado os oficiais daquele igreja a permanecerem firme e atento contra os falsos mestres.
Aqui o Cristo glorificado se apresenta como aquele que conserva os ministros da palavra em sua mão. Isto é um consolo para todos os pastores e para toda a igreja. Porque eles sabem que Jesus Cristo conserva os seus embaixadores em suas mãos. Ele governa seus ministros. Ele os conforta e protege de todo mau que tente destruí-los. Porque eles estão aqui representando a Cristo neste mundo. Pregando e ensinando as suas igrejas amadas. Elas são chamadas de candeeiros. Um candeeiro serve para clarear os lugares escuro. A igreja de Cristo está aqui na terra para ser a luz do mundo. Como o próprio Jesus Cristo tinha dito em Mateus 5.14: “Vós sois a luz do mundo”. A igreja é a luz do mundo. Ela deve brilhar no meio das trevas. A sua luz deve dissipar as trevas. Para que todo mundo possa ver que na igreja brilha a luz de Cristo. Como diz Mateus 5.16: “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”. A nossa luz deve brilhar no meio dos homens para Deus ser glorificado pelo nosso bom proceder. Porque devemos ter em mente uma coisa: Cristo não apenas governa os ministros, tendo-os em sua mão, mas também ele anda no meio da igreja. Ele está vendo o que acontece na sua igreja. Nenhum crente pode se esconder dos olhos de Jesus Cristo. Porque Ele está andando no meio da sua igreja para ver como estamos andando nos seus caminhos. Ele sabe quem está sofrendo e triste. Ele sabe quem está com uma fé fraca. Ele sabe quem está feliz e com uma fé forte. Por isso Ele faz questão de dizer que está caminhando pelo meio de sua igreja. Ele quer confortar seus fiéis a buscá-lo. A não desanimar, mas a confiar. Nada em nossas vidas está em oculto diante de Jesus Cristo. Devemos nos lembrar disso. É por esse motivo que Ele se apresenta logo no inicio da carta a igreja em Éfeso. Mas não serve apenas para a igreja em Éfeso. Serve também para nós também aqui da Igreja Reformada em São José.
Depois de se apresentar Ele diz nos versos 2 e 3: “Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achates mentirosos; e tens perseverança, suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer”. A igreja em Éfeso é elogiada por sua firmeza na doutrina do Senhor. Os irmãos não toleraram aqueles falsos homens que se infiltraram na igreja. Pessoas que se diziam apóstolos, mas na verdade eram enganadores, agentes de Satanás. Conforme a advertência de Paulo quando esteve na cidade de Éfeso, eles examinaram os falsos apóstolos, e achando-os mentirosos, e os rejeitaram. Eles permaneceram leais as doutrinas ensinadas pelo apóstolo Paulo. Como diz o apóstolo João na sua primeira carta capítulo 4.1: “Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo a fora”.
Eles lutaram muito e permaneceram firme. Suportaram provações pelo nome de Jesus Cristo. Eles não se rederam também ao culto ao imperador. Antes preferiram sofrer, a abandonar a Cristo, em quem tinham crido. Lutaram com todas as suas forças, e não se deixaram esmorecer por causa dos ataques. Antes mostraram ao mundo a luz de Cristo que havia naquela igreja em Éfeso. Eles não esconderam suas obras de fé ao Senhor. A sua luz resplandeceu naquele mundo em trevas. Que sirva de exemplo para nós a firmeza da igreja em Éfeso, de permanecermos firme naquilo que aprendemos da palavra de Deus. Que não venhamos a nos desviar da doutrina ensinada nesta igreja. Mas que confiemos de que Jesus Cristo está cuidando dos oficiais desta igreja e que Ele está no nosso meio andando. Olhando como está a nossa vida com Deus.

2. Advertindo a igreja (Vs. 4-6).

Irmãos, depois de elogiar a igreja em Éfeso em sua doutrina e perseverança. Por ter permanecido firme naquilo que aprendeu do apóstolo Paulo. O Senhor Jesus Cristo adverte a Igreja em Éfeso de algo grave que estava acontecendo. Ela era uma Igreja firme em doutrina. Firme na palavra contra os adversários que tentavam distorcer e destruir as obras de Deus no meio da igreja. Porém, o Senhor adverte de está faltando o primeiro amor. Esta é a acusação do Senhor, como diz o verso 5: “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor”. Devemos lembrar que o Senhor Jesus Cristo é aquele que está andando no meio dos candeeiros, que são as igrejas. Por isso, Ele sabe o que está acontecendo. A igreja em Éfeso era uma Igreja firme na doutrina do Senhor. Porém, não basta ser apenas firme na doutrina. Porque até mesmo um descrente pode saber muito mais teologia do que um crente que faz muitos anos na igreja. Porque a teologia ou a doutrina da Bíblia deve afeta não apenas o nosso intelecto. Mas, também nosso coração. Está firme na doutrina é amar a Deus acima de qualquer coisa. Conhecimento e amor não se separam.
E foi exatamente isto o que estava acontecendo na igreja em Éfeso. A igreja em Éfeso tinha mais de 40 anos e uma nova geração de crentes tinha se levantado. Os filhos não provaram aquele mesmo entusiasmo que seus pais provaram em entrar em contato com o evangelho. Eles não tinham aquela espontaneidade para servir a Cristo como seus pais. Eles perderam aquela antiga devoção por Cristo. Com certeza ainda havia labor, perseverança e obras. Mas o amor estava em decadência naquela igreja. Isto nos lembra o povo de Israel depois da morte de Josué e dos anciãos. No livro dos Juízes é dito que uma nova geração dos filhos de Israel surgiu. Porém, não conhecia os feitos do senhor e nem o próprio senhor. Certo que a situação aqui na igreja de Éfeso era diferente da descrita lá no livro dos Juízes. Nos livros dos Juízes o povo não conheciam o senhor. Eram descrentes. Totalmente descrentes. Porém, aqui em Éfeso, aqueles membros eram crentes no Senhor Jesus Cristo. Só que o amor havia esfriado pelo Senhor. Não havia entusiasmo em servir ao Senhor como na época dos seus pais. Mas, os irmãos podem perguntar-me: como o amor por Jesus Cristo pode está em falta? Vou dar um exemplo: Uma esposa pode ser muito fiel a seu esposo e dar evidência de uma ativa devoção em todas as coisas a ele relacionadas – e ainda assim pode haver uma redução no seu amor por ele só. Seu senso de dever pode fazer com que ela lhe permaneça fiel em todos os detalhes da atenção que ela lhe dedica. Mas, seu amor vai esfriando pelo seu esposo.
Deste modo um membro pode ficar em falta no serviço a Deus. Ele pode esfriar em servir a Deus e faltar nas atividades da igreja, não querer trabalhar. Podemos não ser tão fervorosos como antes no serviço do Senhor. Podemos não ter aquele mesmo entusiasmo de antes quando conhecemos o evangelho. Porém, quando isto está acontecendo no meio da igreja, devemos nos lembrar da ameaça do Senhor Jesus Cristo a igreja em Éfeso que deixou o primeiro amor. O Senhor diz no verso 5: “Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se senão, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas”. A ameaça do Senhor é severa aquela igreja. A igreja deve olhar aonde foi que errou. Tem que procurar no que está fazendo para saber onde caiu e levantar. A igreja é exortada a uma mudança de mente perante o Senhor. Não era uma mudança superficial, apenas da boca para fora. Mas, era uma mudança radical de atitude para com o seu Senhor. Eles tinham que olhar para o passado e ver o exemplo dos seus pais. Como eles serviam ao Senhor Jesus Cristo com muita devoção, entusiasmo e com espontaneidade, seja, sem constrangimento. Essa era a prática que devia ser cultivada novamente.
Porque se não houver arrependimento da parte daquela igreja o Senhor diz que vai remover a igreja do seu lugar. Quer dizer, o Senhor vai castigar, destruir a igreja em Éfeso. A igreja em Éfeso, tinha a seu favor era que odiava as obras dos nicolaítas. Os nicolaítas eram pessoas que gostavam das festas mundanas, comidas sacrificadas a ídolos. Pessoas que gostavam daquilo que o mundo oferece.
Porém, a mesma ameaça a igreja em Éfeso, serve para nós. Todos juntos e individualmente. O Senhor está no nosso meio. Ele está passeando no meio de sua igreja e Ele está vendo como está a situação da igreja aqui em São José. E com sinceridade devemos admitir que estamos em falta com o Senhor. Está faltando mais devoção em servir ao Senhor Jesus. Isso nós podemos ver nas atividades da Igreja. Desprezo pelos cultos, estudos bíblicos, reunião de oração, sociedade das mulheres e dos jovens. Também nos pais em enviar seus filhos para a catequese ou deixando seus filhos em casa na hora dos cultos. Isto nós podemos ver até mesmo em uma simples limpeza do prédio da igreja. Quando é para comparecer todo mundo, quase ninguém comparece na limpeza geral. Isto é amor pela obra do Senhor? Pelo trabalho do Senhor? Ou temos que admitir que é um esfriamento do nosso amor pelo Senhor Jesus Cristo? Não adianta ter sem anos de membros se nosso amor por Cristo não cresce, apenas diminui. Devemos olhar onde foi que caímos e nos levantar. Devemos nos arrepender dos nossos pecados. Eu sei, ninguém gosta de ser confrontado do seu erro. Porém, olhando a palavra de Deus, essa é a situação.
O Senhor está no meio da sua igreja andando. Ele sabe o que cada um sofre. O que cada um está em falta. E se estamos em falta do nosso amor a Jesus Cristo, devemos o quanto antes nos arrepender. Senão o Senhor afiará a sua espada e pelejará contra os infiéis. Está advertência a Igreja em Éfeso, também serve para nós aqui em São José. A ameaça é real e a mudança também deve ser real em nossas vidas. Mas, o que permanece fiel receberá a recompensa. Isso nos leva ao terceiro e último ponto.

3. Exortando a igreja (V. 7).

Irmãos, a igreja de Éfeso foi seriamente advertida pelo Senhor a voltar a praticar o primeiro amor. Tinha que se arrepender e voltar a ter um amor fervoroso pelo Senhor Jesus Cristo. Senão houvesse arrependimento Deus destruiria aquela igreja. Então, é quando nós escutamos o Senhor Jesus Cristo exortando a igreja no verso 7: “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às Igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus”. Veja que a exortação não foi apenas a igreja em Éfeso. Mas, foi para às igrejas. As outras igrejas da Ásia também deveriam ler as outras cartas enviadas as outras igrejas. A igreja é exortada a ouvir o Espírito Santo falando nas cartas. A igreja deve ouvir o que Deus tem a dizer para cada uma delas. E, é por isso que estamos ouvindo hoje o que o Espírito está nos dizendo. Nos elogia, mas também nos adverte.
Cristo vai recompensar aqueles que permanecer firme. Ele diz que ao vencedor darei que se alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus. Esta árvore foi plantada no jardim do Éden. Após a queda do homem, Deus expulsou o homem do jardim para não comer daquela árvore. Porque não permaneceu firme no seu estado original. Depois de expulsar o homem colocou querubins com espadas de fogo na entrada do jardim e assim impedindo o caminho para a árvore da vida. O paraíso ficou fechado para o homem depois da queda. Mas, em Cristo ele se abre para aquele vencedor que permanece firme no Senhor. O vencedor é aquele crente que luta contra o diabo e o pecado. E por seu amor a Jesus Cristo ele persevera até o fim. A esse vencedor é oferecido a comida que dar vida. O jardim do Éden agora é chamado em Apocalipse de a nova Jerusalém. A árvore está no meio da cidade. Como diz Apocalipse 22.2: “No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas são para a cura dos povos” e também o verso 14: “Bem-aventurados aqueles que lavam as vestiduras no sangue do Cordeiro, para que lhe assista o direito à árvore da vida, e entrem na cidade pelas portas”.
É dessa árvore que será dado aos fiéis ao Senhor Jesus Cristo. Porque Jesus Cristo abriu as portas do paraíso para nós entrarmos e recebermos o fruto da árvore da vida. Quer dizer, receberemos a vida eterna. Estaremos para sempre com o Cordeiro de Deus. Por isso, ouça o que o Espírito tem a dizer. Persevere naquele que morreu por você. Que te concedeu arrependimento e fé. E está disposto a te dar a vida eterna.
Amém.